sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Recomeçando

Depois de muito tempo afastado de blogs, decido recomeçar, pretendendo expor mais minha perplexidade com razões sócio-políticas que levam aos descaminhos seguidos por toda a humanidade que, em vez de usufruir positivamente dos progressos cientícos e dos conhecimentos oferidos pela modernidade, se apega apenas à podridão das novas "consciências" , agindo sob o signo do fascismo, da intolerância, do egoísmo e da perversidade, ignorando princípios básicos da igualdade e da solidariedade. O mundo é fascista, antidemocrático e o sentimento de amor verdadeiro há muito tempo se fez pelos ralos imundos do progresso capitalista e das elites perturbadoras da paz com sua truculência e seu pouco senso de respito pelos semelhantes e pela Natureza. Se apegam todas a deuses que não existem e deixam que o verdadeiro Deus, o do ateismo, que embora não tenha nome, nem forma, nem venha de nenhuma escritura, não se mete nos assuntos dos homens para esborrifar besteiras no populacho ignorante, egocêntrico e mau sob quase todos os pontos de vista.

4 comentários:

Francisco Castro disse...

Olá, gostei muito do seu blog. Ele é muito bom.

Parabéns!

Um abraço

Su(elen) disse...

Entendi sua posição no post. Não critiquei de todo, só expus meus sentimentos naquele momento em que li. Concordo com vc em muita coisa.
Obrigada
Sue

Manoel Messias Pereira disse...

Caro amigo

O blog é um espaço, pra gente exorcisar, e a nossa poesia, que perdeu as páginas literárias, dos rádios, dos jornais, tem pouco espaço na televisão agora tem a internet, uma infinidade de possibilidade de ser compartilhada, no mundo.
E estarei sempre que posso apresentando um poema meu ou dos amigos, algo que acho bonito,e necessário, para uma reflexão saudável e até provocativa.
Abraços, camarada.

gutenberg disse...

Olá Cairbar.

Leia o noticiário da última semana de janeiro e ficará informado sobre as ações do marqueteiro João Santana recomendando a Dilma ficar calada.
Ele quer criar para ela a imagem de uma rainha. Acho isso muito interessante. Logo uma rainha de esquerda. mas o mundo dá muitas voltas, não é mesmo?
O seu blog tem alguma proposta?
Este aqui pretende fazer, em parte, o que boa parte da imprensa não faz. Perguntar coisas incômodas. Perguntar não ofende. Numa democracia não há vacas sagradas. E nem temas proibidos.
Não sei o que você pensa quando fala de fascismo. Mas fascismo é não aceitar idéias contrárias. Cuba, por exemplo, é fascista. Lá ninguém pode dizer o que pensa. Para dizer sim sempre não é necessário democracia.
Acho que você não tolera quem pensa diferente de você.
Eu tolero, mesmo os intolerantes. Sou democrata.
A propósito aqui ninguém é de extrema direita, porque a extrema direita não se diferencia da extrema esquerda.
Para um sujeito da sua idade já deveria saber disso.
Ninguém vai meter ideias na cabeça de ninguém, nem você com o seu blog, e nem eu.
As pessoas devem pensar sobre os problemas apontados e não comprar ideias prontas. Você compra?
Não há nenhuma indecência em nada do que foi publicado. São fatos.
Se você acha fatos indecentes deveria mudar de ramo.
Volte sempre, será bem vindo.
Mas deixe os palavrões de lado. Isso não é necessário numa sociedade civilizada.
Eu respeito o seu blog. de certa forma ele é a sua casa,
Saudações
Gutenberg (laudamamassada)

PS. Acho você muito radical. Isso é muito ruim. Você não gosta de nada do cinema americano? Só porque é americano?
Eu gosto de muitos atores e diretores americanos, assim como do cinema europeu. Aprecio demais a literatura russa, Dostoievski, especialmente. Gorki não, pois era um alcagueta soviético.
Sei separar as coisas, embora Mãe seja um grande livro.
Acho os livros do Cortazar excelentes, apesar do esquerdismo pessoal dele.
Mario Vargas Llosa, o Nobel de Literatura é ótimo, assim como é ótimo o colombiano Gabriel Garcia Marques, apesar do pecado pessoal de ser amigo íntimo de Fidel Castro. "Cem anos de Solidão" é imperdível.
O mundo não é perfeito, não é mesmo?

Gosto de Coca Cola. Você não?
Uso a Internet, você não?
Uso o blogger, você não?